Cadeira Orca

*Por Redação

O designer Sul Africano Porky Hefer expôs uma cadeira com formado de Orca, de sua coleção “Monstera Deliciosa” na exposição de “Southern Guild Of South African Colletible” durante a Design Miami de 2015.

Fiona BlackFish

Fiona Blackfish, como é chamada a cadeira, possui couros preto, branco e cinza costurados em seu exterior, concluída com uma cauda, barbatana dorsal e nadadeiras. Em seu interior, possui assento em forma de língua rosa peluda dentro da boca da baleia, cercada por dentes de couro.

A cadeira Fiona é pendurada utilizando corda e gancho vermelhos, que se ligam a um laço na parte superior da cadeira.

Fiona BlackFish

Foi a partir da coleção de cadeiras Monstera Deliciosa, de cadeiras em formatos de animais, que mais seis designers puderam expor suas obras na mostra. Os outros animais representados como assentos incluem um pelicano (cujo bico de couro marrom alargado cria um assento em forma de ovo), uma arraia, um crocodilo e um tamboril.

Pelicano

Um baiacu e uma criatura de quatro patas foram feitas de cana Kooboo, ao invés de couro como as outras peças expostas na mostra.

A última peça é um tamboril em couro (imagem acima), um animal das profundezas do oceano que usa uma isca brilhante acima de sua boca, suportado por um pedaço de osso que se inclina sobre sua cabeça como uma vara de pesca para atrair presas. No assento a isca foi substituída por uma luz oscilante acima da sua boca.

Cada uma das cadeiras, que a galeria descreve como “ambientes ninho”, é feita através habilidades artesanais tradicionais da África do Sul, incluindo tecelagem e costura de diversas fibras.

“Minhas peças fazem com que as pessoas pensem sobre a natureza, sua fragilidade e como preservá-la”, disse o designer morador da Cidade do Cabo, Porky Hefer, que passou 16 anos trabalhando com publicidade antes de trabalhar com o design colecionável.

Porky Hefer

“Elas também são sobre a proteção do artesanato local, para que essas tradições não morram”, acrescentou.

Hefer trabalhou com artesões locais (África do Sul) para a criar a coleção, incluindo o tecelão Ismael Bey.

Porky Hefer

“As pessoas estão presas à tecnologia, mas ela evolui tão rápido que é difícil de fato se beneficiar dela, porque até que você consiga dominá-la, ela já estará ultrapassada. ”

“Ismael tem treinado tecelões na Sociedade dos Cegos na Cidade do Cabo, onde eu tive um monte de meus projetos produzidos”, acrescentou. “Desta forma, eu uso seus conhecimentos e habilidades de tecelagens tradicionais em usos não tradicionais, tornando-os mais relevantes. ”

Hefer encerrou sua carreira em publicidade em 2007 para começar sua própria consultoria criativa, a Farm Animal. Fundou Porky Hefer Design quatro anos mais tarde e integra habilidades tradicionais africanas em todos os seus projetos.

Fonte: Dezeen.com